Quais empresas e como estão inovando o mercado lawtech?

Somente no Brasil, existem mais de 1 milhão de advogados registrados na OAB. Agora, coloque esse número em proporção ao restante do mundo. Impossível fazer uma conta de cabeça, não é mesmo? Pois é. Esses dados nos dão uma ideia precisa da quantidade de profissionais que precisam otimizar suas atividades e práticas jurídicas para atender melhor a população.

Para sanar esse problema, entra em cena o mercado lawtech, que por meio de startups une tecnologia e advocacia para aumentar o Poder Judiciário. Tudo isso, com a ajuda de soluções, serviços, ferramentas digitais e softwares, que buscam auxiliar advogados e juízes em sua rotina diária, além de permitir mais acesso à lei por parte da sociedade. 

Gostou desse conceito? Neste artigo, você encontra uma lista com algumas lawtechs que se destacam no setor e descobre o que elas fazem para serem consideradas como as melhores do mundo. Vamos lá?

DoNotPay

Fundada em 2015, a inglesa DoNotPay é conhecida no mercado lawtech por ter desenvolvido “o primeiro advogado robô do mundo”. Ele combina inteligência artificial com chatbot através de um aplicativo do Facebook Messenger, e é destinado a se responsabilizar pela resolução de pequenas causas. Por enquanto, ainda não funciona no Brasil, pois obedece ainda a leis específicas no exterior. 

O robô já ganhou mais de mil contestações de multas de trânsito em diversas localidades do Reino Unido e também dos Estados Unidos, como a cidade de Nova York. O principal objetivo dessa ferramenta é que o usuário tenha menos despesas para solucionar questões jurídicas simples e de forma realmente efetiva, já que ele não precisa pagar pelo serviço solicitado. O tempo de resolução também é recorde e quem utiliza o recurso tem que esperar muito pouco para obter seu retorno.

Casetext

Famosa no mercado lawtech, a Casetext nasceu no Vale do Silício e estabeleceu suas atividades no ano de 2013. A startup utiliza inteligência artificial para angariar resultados precisos e em pouco tempo: ou seja, sua plataforma é uma espécie de Google voltada apenas para buscas de cunho jurídico. Atualmente, pode ser usada de maneira gratuita, o que a torna ainda mais atraente para profissionais. 

A ferramenta aposta na análise semântica sem latência das palavras contidas na busca, para entregar os melhores resultados ao advogado. Ela pode ser usada de maneira estratégica e competitiva, uma vez que com os termos corretos, os profissionais conseguem encontrar informações que outros advogados ou juízes não encontram. O vice-presidente da corporação, Anand Upadhye, defende o uso da I.A na advocacia por ser um recurso imparcial e que realmente auxilia em decisões complexas.

Judicata

A Judicata tem seu trabalho baseado em uma crença poderosa: “a tecnologia pode fazer mais para fornecer informações críticas que ajudam os advogados a obter resultados bem-sucedidos para seus clientes”. Assim como a Casetext, sua proposta é pautada na pesquisa legal, com uma plataforma também desenvolvida com a ajuda de inteligência artificial. 

No momento, ela atende somente à lei estadual da Califórnia, mas sua intenção é se expandir para outras localidades dos Estados Unidos. Sua equipe é toda formada por advogados e engenheiros de instituições como Google, Stanford, Columbia e o Ninth Circuit Court of Appeals. Com diferencial, a startup alega que sabe em primeira mão do que os advogados precisam e oferece uma tecnologia superior a qualquer sistema de pesquisa legal.

Absolute Barrister

O Absolute Barrister é um serviço jurídico geral localizado no Reino Unido, que permite que as pessoas obtenham aconselhamento jurídico através de seu sistema de computação em nuvem online. Com uma senha, os clientes podem falar diretamente com um advogado por meio de um quadro de mensagens, compartilhar documentos fazendo o upload deles para a plataforma e gerenciar o caso simplesmente acessando seu perfil.

Usar esse serviço é bem mais barato para o público final, pois ele não precisa pagar honorários para advogados. A startup oferece serviços nas áreas de propriedade intelectual, calúnia e difamação, disputas de propriedade, assessoria jurídica empresarial, testamentos, representação familiar e muito mais. É quase um escritório completo que tem revolucionado o mercado lawtech internacional.

Ravel Law

A Ravel Law é uma startup que oferece acesso gratuito à pesquisa jurídica assistida por computador. A empresa financiou um grande projeto de escaneamento na biblioteca da Escola de Direito de Harvard conhecida, na tradução para o português, como “Liberte a Lei”. Até o ano passado, cerca de 40 milhões de páginas da biblioteca foram digitalizadas, um marco no mercado lawtech

De acordo com o anúncio inicial, o acesso à biblioteca durante os primeiros oito anos será concedido a organizações sem fins lucrativos e parceiros da startup antes da abertura completa para o público. Além do acesso básico gratuito, a Ravel Law oferece planos mais sofisticados para firmas de advocacia e pesquisadores.

Looplex

A brasileira Looplex é responsável por uma plataforma de automação inteligente para documentação jurídica. Seu fundador Angelo Caldeira desenvolveu a ferramenta após perceber, depois de mais de 20 anos advogando, inúmeras ineficiências em práticas jurídicas comuns. Junto a um poderoso time de programadores, matemáticos e advogados, ele criou alguns serviços a mais dentro desse sistema.

Por exemplo, o Looplex Go, que é o carro-chefe da startup. Ele automatiza seu conteúdo para criar em minutos contestações, recursos e contratos, que geralmente demoram horas para serem realizados com o cuidado necessário. Os próprios usuários têm autonomia para programarem seus próprios modelos e salvá-los para utilização posterior.

Sem dúvida alguma, o setor lawtech veio para ficar. Após ver tantos bons exemplos, é possível perceber que o cotidiano jurídico se torna mais assertivo e ágil em vários pontos, como a gestão de processos e de escritórios, a otimização e organização de processos, e a redução de custos, característica típica das propostas de startups.

Aqui no Brasil, já existem mais de 100 lawtechs em plena atuação. Por isso, o cenário é animador e em breve muitas notícias ainda serão divulgadas a respeito do papel de nosso país nessa evolução tecnológica tão importante. Gostou de saber um pouco mais sobre o mercado lawtech? Conhece outras startups que poderiam entrar na lista? Deixe um comentário com a sua opinião!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *