O que é uma fintech?

Você sabe o que é uma fintech? Essa palavra parece estranha, mas carrega uma concepção repleta de significado. Seu principal objetivo interessa a muita gente: deixar de lado a burocracia de certos serviços financeiros, especialmente aqueles relacionados a bancos, e solucionar todas essas questões de um jeito mais rápido, barato e assertivo. Este é o sonho de trabalhadores e também de empresários de renome.

Parece impossível, mas saiba que tudo isso já está acontecendo na prática. As fintechs são empresas de espírito jovem, que graças a sua capacidade infindável de inovar, ganham cada dia mais espaço dentro do mercado financeiro. E ele, como sabemos, é bastante competitivo nesses tempos conturbados tomados pela crise de nosso país e do mundo.

Quer saber mais a respeito do assunto e descobrir o que uma fintech pode fazer por você? Então continue a leitura desse artigo e surpreenda-se! Você talvez até faça uso de uma sem mesmo perceber.

O que é uma fintech?

Fintech é um conceito que surgiu da mistura de dois termos em inglês: “financial” (financeiro) e “technology” (tecnologia). Hoje, ele é usado para empresas direcionadas para a prestação de serviços financeiros, desde que a tecnologia seja seu grande diferencial. Isso inclui até mesmo atender clientes via computador e smartphone, para não perder tempo e trazer mais agilidade a proposta.

Essas empresas oferecem produtos variados, que vão desde orientações financeiras a cartões de crédito e investimentos. Cada fintech pode se especializar em diferentes nichos, inclusive para se colocar a frente de grandes bancos que não conseguem atender demandas com igual qualidade, já que têm que lidar com um volume muito alto de clientes. Essas companhias foram fundadas há poucos anos, na mesma linha inovadora e disruptiva seguida pelas startups.

De acordo com pesquisas, cerca de 2 mil fintechs já estão espalhadas pelo mundo. No Brasil, desde 2017 o número de iniciativas voltadas para esse setor aumentou significativamente.

O que torna as fintechs tão especiais?

As possibilidades de serviços de uma fintech são várias, bem como os serviços oferecidos. Mas o que as torna tão especiais, se elas estão dentro de um mesmo campo de atuação? Quatro pontos específicos explicam essa dúvida:

Foco na tecnologia

Além de mais conforto e autonomia para que os clientes solucionem seus problemas financeiros, as fintechs utilizam a tecnologia para desenvolver soluções digitais únicas e criar um canal de contato mais direcionado ao consumidor. Por este motivo, o atendimento de qualidade também se sobressai em relação a outras instituições financeiras.

Menos burocracia

Novamente em cena, a tecnologia usada por uma fintech acaba com toda a dificuldade que existem em reunir documentos, aguardar comunicados por correio e enfrentar filas demoradas ou espera no telefone. Tudo é possível de ser realizado de casa, por meio de qualquer dispositivo e com total segurança, o que é muito importante quando o assunto é dinheiro.

Mais especialização

A maioria das fintechs oferece apenas produtos específicos e tem um modelo de negócio bastante resumido. Por este motivo, essas startups concentram esforços naquilo que realmente interessa e se empenham em apresentar melhorias constantes nessa cartela de produtos. Ou seja, todo seu universo imprime alta qualidade em processos e atendimento.

Soluções inéditas

Assim como as famosas startups do Vale do Silício, uma fintech tem como meta desenvolver soluções inéditas. Sendo assim, estão sempre de olho em demandas que instituições financeiras bancárias não costumam contemplar. Cartões de crédito sem anuidade, contas sem tarifas e empréstimos mais acessíveis são apenas alguns exemplos de fintechs atuantes no momento.

Como as fintechs funcionam?

Uma fintech, por ser uma startup tecnológica, precisa identificar uma oportunidade para funcionar. Isso significa descobrir um produto ou serviço que atende a determinada demanda, ainda que o consumidor não perceba que precisa dela de imediato. Outra opção é transformar uma alternativa já existente em algo ainda melhor.

Sendo assim, seu foco primordial é em qualidade e não em quantidade. Não importa quantos produtos ofereçam: todos eles devem ser redondos e impecáveis. É sempre melhor disponibilizar menos, mas com total excelência. Assim, as fintechs não perdem seu foco e, ainda que corram riscos como qualquer premissa empreendedora, consegue um maior controle sobre o que porventura surgir no caminho.

E por que elas são tão importantes?

Ainda que uma fintech não seja muito grande, ela consegue causar um impacto expressivo na indústria de serviços financeiros. Tanto é que o cenário financeiro já tem mudado bastante depois que elas começaram a se firmar. E isso reflete na forma com a qual você organiza as suas finanças.

As fintechs vieram para ficar e são procuradas inclusive por grandes executivos que precisam de mais facilidades para tocar seu negócio. A tendência é que em alguns anos, a geração millennial não precise mais criar uma conta bancária tradicional para administrar seu próprio dinheiro.

Essa constatação mostra que, ainda que as fintechs sejam extremamente inovadoras, o perfil e o comportamento do consumidor também tendem a mudar e precisam de alternativas mais aderentes a sua nova realidade. Bancos não têm a estrutura necessária para atender a isso.

Portanto, não há mais qualquer dúvida de que as fintechs são de extrema importância para sustentar essa transformação. Elas já têm em seu DNA a percepção de que sites, plataformas, aplicativos e sistemas online são a maneira mais eficaz de trazer boas experiências para os clientes. E são devidamente construídas para investir sem parcimônia neste tipo de ferramenta, coisas que grandes bancos raramente mostram disponibilidade em fazer.

De fato, as fintechs vieram para ficar. Por isso, considere já abandonar serviços burocráticos e lentos das instituições bancárias brasileiras e trocar pela objetividade e agilidade deste tipo de empresa. Assim, você poderá comprovar e sentir a evolução do mercado na pele, além de conseguir administrar melhor seu dinheiro e perceber a diferença diretamente em seu bolso e em seu tempo.

Agora que você já sabe o que é uma fintech, como elas funcionam e por que sua proposta é tão necessária atualmente, é hora de ir um pouquinho mais além e descobrir o que é uma startup e porque seu conceito está atrelado ao das fintechs. Boa leitura e aprendizado!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *