Como se adaptar a uma cultura diferente indo estudar fora?

Estudar fora é mesmo a realização de um grande sonho. Viver em um novo país, conhecer novas pessoas, estar em um novo ambiente, fazer novos contatos e até mesmo conviver com uma nova família. Um leque de oportunidades se abre, para que você possa aprender mais e se transformar como pessoa e profissional. Mas, assim como todas as nossas escolhas, essa também traz alguns desafios.

Um deles é a tentativa de se adaptar a uma cultura diferente. Isso inclui uma série de palavras mágicas: costumes, hábitos, comidas, posturas. A maioria desses itens provavelmente será completamente diferente de tudo o que você tem dentro de sua rotina aqui no Brasil. Então, como fazer para enfrentar esse tipo de obstáculo e ter uma boa experiência em outro país?

Se você quer se preparar para isso, é hora de ler as dicas desse artigo. Com muita paciência e com seu coração aberto, tenha certeza de que tudo fica mais fácil. Vamos lá?

Não faça comparações entre culturas

Cada país tem suas particularidades: desde a maneira como as pessoas se cumprimentam até um prato típico, você consegue encontrar inúmeras diferenças. Por isso, jamais se apegue a comparações em relação a seu país natal. Todas as culturas são especiais e oferecem experiências inesquecíveis que devem ser aproveitadas ao máximo.

Para que valha mesmo a pena estudar fora, é preciso aprender a lidar com esse tipo de diferença. Aceitar pequenos detalhes é o que ajuda alguém a evoluir e sair totalmente de sua zona de conforto. Se entregue ao seu novo destino e reconheça sempre o que ele tem de melhor. Assim, se adaptar a uma nova cultura é algo que acontece de forma mais natural e rápida.

Não tenha medo de experimentar coisas novas

Não fique apreensivo de experimentar as coisas. Seja um prato típico ou um costume local, pesquise um pouco a respeito e deixe o medo de lado. Se algo não agradar a princípio, dê uma segunda chance. Lembre-se de que desde crianças, nosso paladar e nosso corpo precisam passar por inúmeras adaptações para se desenvolver.

É a mesma coisa para estudar fora. Você só vai saber se gosta ou não de alguma coisa se realmente se esforçar para saber como ela funciona ou que gosto tem. Se adaptar a uma nova cultura é uma prática que flui melhor quando você está disposto a realmente conhecer tudo o que seu novo país tem a oferecer. Sendo assim, não recuse esse tipo de oferta e vá sempre em frente!

Conheça o idioma antes de ir estudar fora

Não é preciso fazer um intercâmbio com conhecimento pleno do idioma local. Contudo, é interessante saber o básico para tornar seus primeiros dias mais fáceis. Aprenda palavras-chave e expressões comuns para facilitar sua comunicação e permitir que você seja independente. Ir a uma loja e adquirir um produto sozinho já é suficiente para mostrar que você tem total capacidade de se virar por ali.

Assista a filmes e ouça músicas nessa língua para se acostumar aos sons, sotaques e pronúncias. Sua compreensão melhora bastante e você consegue se sentir mais seguro para estabelecer contato com outras pessoas, sem vergonha ou timidez. Ao poucos, a prática terá excelentes resultados e você terá muito mais desenvoltura em qualquer situação.

Seja sociável para se adaptar a uma cultura diferente

Estudar fora proporciona uma série de oportunidades para você sair de casa. Além das aulas, você estará rodeado por amigos e colegas e poderá realizar passeios e conhecer novos lugares nas redondezas. Portanto, seja sempre sociável e não recuse esse tipo de convite. Estreitar laços é um jeito simples de amenizar a saudade de quem ficou no Brasil e também de conhecer comportamentos e preferências locais.

Aproxime-se também de outros intercambistas, pois eles estão passando pelo mesmo que você. Ao compartilhar as dificuldades particulares de cada um, o outro pode ajudar com dicas de superação e adaptação. Procure também por veteranos que estão a mais tempo nesse país e converse com eles para descobrir como vencer obstáculos e ter uma vida mais feliz e gratificante durante sua estadia.

Respeite o espaço do próximo

Aqui no Brasil, grande parte da população é amigável e calorosa. Porém, nem sempre essa característica é comum em outros lugares do mundo. Quando estamos em um país diferente do nosso, a educação é a premissa principal para uma boa adaptação. Então, observe bem os hábitos de quem está ao seu redor e se certifique se há liberdade para determinadas atitudes, como abraços e beijos.

Sempre use as palavras básicas da educação: obrigado, por favor, me desculpe, com licença. Elas têm um poder enorme, pois demonstram que você respeita o espaço em que está e se mostra disposto a agir conforme as regras e determinações locais. Essa é a porta de entrada para muitas aproximações de desconhecidos e, junto com um sorriso, você pode conquistar muitas coisas boas.

Procure sair do óbvio

Viajar para estudar fora é diferente de realizar um intercâmbio de férias. Seu roteiro e seu tempo não são tão curtos, porque você provavelmente vai passar pelo menos algumas semanas em seu destino. Então, terá tempo para intercalar seus compromissos acadêmicos com outras atividades em dias livres e fazer coisas inusitadas. Sair do óbvio é sempre bom para conhecer realmente a essência do lugar.

Você pode, por exemplo, conhecer um novo bairro da cidade, que seja tradicional e repleto de moradores que têm suas raízes ali. Ou então, se aventurar pelos arredores e fazer trabalho voluntário para se aproximar da comunidade e se adaptar a uma cultura diferente com a mão na massa. As opções são inúmeras e, em várias delas, você pode contar com o auxílio da universidade. Verifique opções disponíveis e escolha as que mais combinam com você.

Viu só como não é difícil se adaptar a uma cultura diferente indo estudar fora? As possibilidades são muitas e, na medida em que você se sentir mais confiante, poderá adotar todas essas práticas e voltar ao Brasil com muitas histórias para contar. Se você teve iniciativa de procurar ter experiência, saiba que ela tem tudo para dar certo. Então, aproveite!

Essas dicas foram úteis para você? Você já teve essa vivência e conhece alguma orientação que possa ajudar outros estudantes? Compartilhe seus conhecimentos aqui nos comentários!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *