6 novidades do polo de inovação de Israel

De um extremo ao outro, Israel está cada vez mais firme como polo promissor de startups. Hoje, existem na região pelo menos 6 mil novas empresas, algumas já com alcance global. Além disso, é o país que mais atrai capital de risco, principalmente por investidores estrangeiros. Os motivos para esse sucesso não são poucos. 

Desde cedo, os jovens israelenses aprendem a administrar melhor os recursos e assumir muitas responsabilidades. A maioria tem experiência militar, mas logo em seguida ingressa diretamente na universidade, pois demonstram sede de aprendizado. Para completar, a escassez de recursos naturais exige bastante criatividade para ser superada. É justamente por isso que esse país não cansa de surpreender a todos.

Quer saber o que anda acontecendo por lá? Confira esse artigo para ficar por dentro das últimas novidades do polo de inovação de Israel e entenda melhor todo esse potencial.

1. O investimento de PIB em inovação se torna estratégia do governo

O polo de inovação de Israel persiste em franco crescimento porque o país representa um diferencial muito importante em relação a outras partes do mundo. Ele investe diretamente em inovação. E ao perceber o quanto essa ação é significativa para o desenvolvimento tecnológico e de pesquisa, agora esse investimento se tornou ainda maior.

Recentemente, o país passou a aplicar quase 5% de seu PIB em P&D. De maneira estratégica, o governo alimenta o mercado de tecnologia para que ele continue em expansão saudável. Assim, bons frutos serão colhidos e Israel continuará sob os holofotes em projeção mundial. Se esse tipo de visão puder ser mantido, a tendência é que a porcentagem aumente nos anos vindouros ainda mais. 

2. Aumenta a aproximação com universidades

Embora os jovens adultos israelenses tenham já uma vivência especial nas universidades do país, somente agora Israel estabeleceu uma relação realmente estreita com as instituições de ensino. Governo e iniciativa privada são os grandes responsáveis por essa conexão indispensável e que começa a fazer diferença no desenvolvimento do conceito de empreendedorismo por lá.

A academia é convidada e financiada para ser parte do polo de inovação de Israel. Para isso, as empresas e startups são criadas dentro das universidades, com apoio da comunidade estudantil. Os alunos geram negócios, são auxiliados pelos professores e, aos poucos, conseguem juntar uma pequena fortuna. Dentro do sistema educacional da região, ganhar dinheiro dessa forma é apenas um incentivo a mais para o sucesso.

3. A preocupação com a cibersegurança cresce

Nos últimos anos, a atuação de grupos hackers ganharam mais força ao redor do mundo. Por este motivo, Israel demonstrou uma preocupação crescente a respeito do assunto no fórum Cyber Week, sediado em Tel-Aviv há alguns meses. Países como a Ucrânia sofreram apagões e perdas de dados por causa de malwares destrutivos espalhados por esses hackers.

O polo de inovação de Israel, então, iniciou a construção de uma barreira mais sólida para evitar que esse tipo de situação atinja seus projetos. O próprio primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, se manifestou firmemente sobre o assunto. Atualmente, cerca de 50 centros de pesquisa israelenses trabalham focados unicamente na segurança digital do país. Neste ano, foram 815 milhões de dólares investidos somente nesse propósito.

4. Estima-se que o polo de inovação de Israel possa gerar 30 mil empregos até 2025

Devido a essa alta demanda por cibersegurança, o polo de inovação de Israel abriga o Advanced Technologies Park. O conjunto de prédios reúne diversas empresas de tecnologia e seus laboratórios de pesquisa. O projeto se iniciou em 2013, mas ainda está em construção, já que não para de crescer. Cerca de dez prédios serão criados, mas apenas dois estão prontos. 

Por isso, estima-se que cerca de 30 mil empregos sejam gerados durante todo esse processo, tanto para terminar de subir a estrutura, quanto para ocupá-la. Até 2025, esse é o plano, mas o número ainda pode ficar muito maior, especialmente se o empenho do país em se dedicar à segurança digital continue a chamar a atenção de outros lugares do mundo.

5. O agronegócio brasileiro desperta atenção de Israel

No último Brazil-Israel Agribusiness Investor Road Show, uma rodada de investimentos que foi organizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em parceria com a Apex, o agronegócio de nosso país chamou a atenção dos colegas israelenses. Cerca de 40 empresas da região foram inscritas nas rodadas de negócio para captação de investimentos.

Além do foco em inovação tecnológica no agronegócio, os interesses se expandiram para outros setores, como o de insumos, o de infraestrutura, e o de produção animal. A pesquisa também não ficou de fora e espera-se que essa parceria seja lucrativa para ambas as partes e que o Brasil possa absorver o quanto antes propostas e projetos provenientes do polo de inovação de Israel também em outras áreas.

6. A minoria árabe investe mais em tecnologia e startups

Israel tem sua população em maioria judaica. Apenas 20% é de árabes, mas essa minoria tem investido cada vez mais em tecnologia e startups. Isso porque a região em que ela se concentra, Kafer Qassem, recebeu seu primeiro hub de inovação, com 600 metros quadrados destinados ao treinamento e a orientação de jovens empreendedores. 

Com apoio da Microsoft Accelerator e da Intel, o espaço será totalmente moderno e repleto de atividades como cursos e palestras. O objetivo é criar capital humano árabe para integrar essa minoria ao polo de inovação de Israel de uma vez por todas. Vale dizer que aproximadamente 1.300 profissionais de high tech estão empregados na região, e a ideia é aumentar esse número ainda mais até o final do ano.

Sem dúvidas, o polo de inovação de Israel ainda tem muito o que nos mostrar. Com uma mão de obra extremamente qualificada e com uma sociedade na qual o empreendedorismo já está enraizado, o setor tecnológico tem todo o impulso necessário para se desenvolver a partir de tudo o que esse país oferece até o presente momento.

Qual é a sua opinião sobre o crescimento e a evolução israelense no ramo da tecnologia e da inovação? Você tem acompanhado o trabalho das startups dessa região? Sabe de algum projeto ou número importante para completar a nossa lista de novidades? Deixe seu comentário abaixo.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *