6 novidades do polo de inovação da China

É comum pensar na China como um país que por praxe “copia” ou imita grandes organizações estrangeiras. Mas essa ideia está totalmente ultrapassada. O país tem passado por um grande boom de inovação tecnológica e hoje é considerado um dos maiores polos produtores de todo o mundo, especialmente no quesito de softwares e hardwares. No ramo de telecomunicações, sua presença também cresce gradualmente.

Algumas regiões específicas, como Shenzen e Zhongguancun, são até mesmo consideradas como centros mundiais de avanços tecnológicos do futuro. Uma responsabilidade e tanto, não? Por este motivo, a China não para nem para dormir, já que sua pretensão é surpreender e ficar cada vez mais perto dos Estados Unidos no ranking de empreendedorismo global.

Tem curiosidade sobre o que acontece do outro lado do mundo? Então acompanhe algumas novidades do polo de inovação da China para entender melhor toda a evolução pela qual o país está passando. 

1. “Vale do Silício Chinês” se estabelece

A região de Zhongguancun, localizada a 25 quilômetros de Pequim, se estabelece atualmente como o Vale do Silício Chinês. Isso porque acaba de bater a marca de 1 milhão de habitantes e cerca de 20.000 empresas voltadas para o ramo da tecnologia, uma grande transformação para o polo de inovação da China

Por lá, é fácil encontrar ônibus elétricos, bicicletas disponíveis para os habitantes e uma imensa área verde, o que comprova que a cidade está muito bem posicionada à frente de nosso tempo. Vale a pena uma pesquisa mais aprofundada sobre tudo o que essa localidade oferece e quais empresas abriga, pois ainda pode dar muito o que falar.

2. Didi Chuxing se torna a segunda startup mais valiosa do mundo

Em Pequim está situada a sede da startup Didi Chuxing, líder em aplicativos de transporte no país. Aqui no Brasil, ela atua em sociedade com a 99, também de transporte. Com aproximadamente 50 bilhões de dólares em valor de mercado, a Didi é agora a segunda startup mais valiosa do mundo. Ela fica atrás apenas da Uber, por enquanto. 

A sede da companhia também é considerada genuinamente empreendedora. Com direito a biblioteca, espaços verdes a área de lazer com escorregador, a Didi representa hoje o que há de mais moderno no polo de inovação da China. Isso significa que, embora tenha chegado um pouco atrasado na era dos computadores, o país se recuperou muito rapidamente e está pronto para continuar na liderança.

3. Investidores privados ganham espaço

O polo de inovação da China conta com a presença marcante de investidores privados. Desde 2016, foram cerca de 77 bilhões de dólares aplicados em startups chinesas e neste ano o país já é considerado o segundo no ranking com mais “unicórnios”. Ou seja, com startups que estão avaliadas em mais de 1 bilhão de dólares. No primeiro lugar, estão os Estados Unidos. 

Em novembro de 2017, a empresa de tecnologia Tencent superou o Facebook em valor de mercado. Neste ano, a Huawei e a ZTE, empresas de telecomunicações, chegaram muito perto dessa marca. Isso mostra que, nos próximos meses, a tendência é ainda crescer mais e se reafirmar com bastante força no mercado. Tudo graças a esses investidores, que estão cada vez mais interessados nesse potencial.

4. DJI desenvolve drones cada vez mais elaborados

A startup DJI é pioneira no mercado de drones sem todo o mundo. Iniciada em um alojamento de estudantes em Hong Kong, começou sem trabalho desenvolvendo helicópteros de controle remoto. Logo em 2012, lançou seu primeiro drone e ao longo dos anos criou novas versões do equipamento que hoje é utilizado inclusive em produções cinematográficas. É a maior empresa do setor, com valor superior a 8 bilhões de dólares.

Neste ano, a DJI já começou a realizar uma nova proposta: a de desenvolver drones mais elaborados com foco no ramo de inspeção, pulverização de plantações e agricultura. Isso porque esse setor é bastante explorado na América Latina, inclusive no Brasil. Espera-se que, muito em breve, esses equipamentos já estejam por aqui.

5. Investimentos em P&D aumentam

Em Shenzen e Nashan, dois centros tecnológicos da China, o investimento em Pesquisa e Desenvolvimento abocanha até 6% do PIB do país. Com cerca de 11 milhões de habitantes, esse local recebe mão de obra pesada proveniente de Pequim, onde se localizam as universidades chinesas mais renomadas do mundo. 

A área de P&D da China detêm muitas patentes internacionais, mais do que outros país muito maiores e considerados como desenvolvidos, como França e Grã-Bretanha. Hoje, a região adiciona um valor de aproximadamente 76% a seus produtos exportados, quase o mesmo número da União Europeia, que chega a 87%.

6. Novas capacidades de IA estão engatilhadas

Recentemente, houve uma proibição de motores a gasolina na China. A medida visa garantir mais vantagem global no mercado de veículos elétricos, o que nos leva a outro fator muito importante no pólo de inovação do país. Ao mesmo tempo em que isso foi anunciado, o governo chinês também revelou um plano de desenvolvimento voltado para Inteligência Artificial.

O plano é dividido em três etapas, que vão de 2020 a 2025, para que o país lidere o mundo nesse ramo no máximo até 2030. Mas isso não significa que vamos ter que esperar até lá para que esse setor caminhe a passos largos por lá. Atualmente, uma fatia generosa das startups chinesas já trabalham focadas nessa alternativa, nos mais diversos ramos de atuação. Ainda que o desenvolvimento ande um tanto quanto sigiloso, é possível aguardar por boas notícias muito em breve.

Como você pode ver, números crescem e inovações surgem diariamente no grande polo de inovação da China. O rótulo de fazer “boas cópias” foi literalmente deixado para trás, uma vez que muito do que é produzido hoje no país é considerado visionário. Nos últimos anos, o avanço tecnológico deixou de simplesmente passar pelo território chinês, mas também cresce e se desenvolve por lá, com raízes bastante firmes.

E você, como enxerga essa evolução do mercado da China a nível mundial? Considera que o país conseguirá se manter expressivo nos próximos anos? Sabe de mais alguma novidade importante para fazer parte dessa lista? Comente e participe do blog.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *